Guaxe / Tiê-sangue

Cacius haemorrhous Comprimento: macho 27 a 29,5 cm; fêmea 21,5 a 24 cm. Presente ro Brasil em duas regiões separadas 1 em toda a Amazônia, e 2) de Pernambuco ao Rio Grande do Sul, estendendo-se para o interior até Goiás e Mato Grosso do Sul. Encontrado também nos demais países amazônicos e no Paraguai e Argentina. Varia de raro a comum na copa e bordas de florestas úmidas (na Amazônia principalmente na terra firme), florestas secas e de galeria e capoeiras altas. Vive em grupos, sendo visto regularmente nas bordas de diversos habitats florestas. Somente a fêmea Constrói o ninho, em colônias, com material de vários vegetais e localização variada, podendo ser à pouca altura sobre a água, no alto de árvores no meio da floresta ou em palmeiras nas bordas da floresta. Diferentemente do japiim não costuma fazer suas colônias em associação com japus. Põe 2 ovos brancos com pontos e manchas avermelhados e roxos. Conhecido também como japira, japiim-do-mato, japiim-de-costas ­vermelhas e japiim-guaxe.



Ramphocelus bresiliusEncontrado exclusivamente no Brasil, da Paraíba a Santa Catarina. Varia de incomum a localmente comum em capoeiras baixas, bordas de florestas, restingas e plantações, às vezes também aparece em parques e praças de algumas cidades. Seu comportamento é semelhante ao da pipira-vermelha, porém vive mais aos pares do que em pequenos grupos. Põe ovos verde-azulados lustrosos, com pintas pretas. O macho é vermelho intenso com as asas e cauda pretas, apresentando uma mancha branca na parte inferior do bico; a fêmea é marrom-cinzenta nas partes superiores e marrom-avermelhada nas inferiores. Conhecido também como sangue-de-boi, tié-fogo e tapiranga (Bahia). Seu comprimento é de aproximadamente 19 cm e 31 g de peso.


Nome Científico Ramphocelus bresilius.
Nome Comum Sangue-de-boi, Tiê-fogo, Tapiranga.
Distribuição Ocorre da Paraíba a Santa Catarina.
Habitat Capoeira baixa, restinga, plantações.
Características 19,0cm de comprimento, 31g (macho).
Uma das mais espetaculares aves do mundo. A soberba plumagem rubro-negra do macho só é adquirida no segundo
ano de vida. Distintivo importante do gênero, e que ocorre exclusivamente no sexo masculino, é a calosidade branca reluzente da base da mandíbula.
Alimentação
Hábito alimentar Frugívoro.
Frutas, legumes e verduras Frutas: maçã, mamão, laranja, goiaba, caqui, banana e frutas de época. Legumes: cenoura ou beterraba. Verduras: escarola, serralha, couve.
Mistura branca Deve ser adicionada diariamente às frutas batidas no liquidificador, às quais darão sabor, corpo e consistência ao alimento a ser servido. A mistura deve ficar bem homogênea, e guardada em recipiente fechado: 4 partes de Neston, 3 partes de farinha láctea, 1 parte de levedo de cerveja, 1 parte de Dextrosol, 2 partes de Meritene sabor baunilha, 3 partes de leite em pó e 2 partes de aveia instantânea. Utiliza-se 1 colher das de sopa bem cheias dessa mistura para cada 1/2 litro de frutas batidas.
Cantaxantina Nutriente utilizado para intensificar a coloração das penas. Recomenda-se a utilização de 6 gramas/kg da mistura branca, durante a época de muda. Não é necessária sua utilização nos casos em que a beterraba e a cenoura fazem parte da dieta do pássaro.
Água Filtrada, renovada diariamente, em bebedouro limpo.
Ração Diariamente: ração peletizada comercial para sabiás. Alguns criadores fornecem ração para cães filhotes triturada, de maneira que se formem partículas de diversos tamanhos.
Papa de frutas Deve-se escolher 2 a 4 frutas ou legumes para serem processados no liquidificador com a mistura branca. A papa deve ter consistência bem firme, o que irá determinar a aceitação e a higiene das aves. O mel pode ser utilizado para melhorar a palatabilidade. Esta papa tem a duração aproximada de 5 horas sem azedar, sendo que jamais deverá ficar exposta ao sol. A papa deve ser servida logo pela manhã e retirada no início da tarde. No período da tarde ofereça frutas "in natura", que serão retiradas ao final do dia.
Alimento vivo Oferecer cerca de 5 larvas para cada pássaro 3 vezes por semana, durante o ano todo. Até 30 larvas de Tenebrio molitor/dia por fêmea com filhotes.
Reprodução
Período de reprodução Primavera e verão.
Período de descanso Outono e inverno.
Fêmeas e filhotes Fêmea pardacenta. Macho imaturo semelhante à fêmea na plumagem mas de bico totalmente negro e não pardo como ela.
Maturidade sexual 12 meses.
Incubação 2 a 3 posturas por temporada, 2 a 3 ovos/postura, 13 dias de incubação, podendo os filhotes serem separados da mãe aos 35 dias de idade.
Gaiola do reprodutor 80cm de comp. x 40cm de alt. x 40cm de larg.
Gaiola da matriz 80cm de comp. x 40cm de alt. x 40cm de larg.
Ninho Tipo taça, feito em arame e sisal, com 12,0cm de diâmetro e 6,0cm de profundidade.
Material p/ ninho Fibra de sisal, fibra de coco e raiz de capim.
Anel No. 5.